Arquivo da categoria ‘Uncategorized

Carta ao Exmo. Sr. Nosso Presidente – Vacinação de crianças   Leave a comment

Tela de envio com sucesso do site www.brasil.gov.br

Tela de envio com sucesso do site http://www.brasil.gov.br

É com muito respeito e apreço que me dirijo à sua pessoa para suplicar sua ajuda em prol de um assunto muito, mas muito sério para a maioria das famílias do nosso querido país.

Tenho 3 filhos, o David de 13 anos, o Erick de 3 anos e 9 meses e o Mateus de 1 ano e 9 meses. Os dois menores ficaram doentes nesse último mês e quando fomos ao Pronto Atendimento do Hospital Beneficência Portuguesa de São Caetano do Sul, a pediatra, Dra. Cibele que nos atendeu, indagou sobre 4 tipos de vacinas que não constavam da vacinação regular que é dada gratuitamente nos postos de saúde. Para minha surpresa, essas vacinas só podem ser ministradas por instituições particulares que cobram por isso e cobram caro. O total dessas vacinas para os meus 3 filhos, sendo que o mais velho só precisa da Hepatite A, fica em R$ 1.401,00. Devido minhas condições financeiras atuais, não consegui vaciná-los. O governo não faz a vacinação gratuita dessa fase. As vacinas são: Meningocócica, Pneumocócica 7 valente, Varicela e Hepatite A. Os preços respectivamente: R$ 168,00/ R$ 260,00 / R$ 130,00 / R$ 95,00.

Minha sensação foi de ser refém, se ser chantageado, ou pago e vacino, senão, meus filhos podem contrair a qualquer momento uma dessas terríveis doenças. A pergunta que vem é: Onde está o direito da criança? Direito à saúde?

Tendo que vacinar meus dois menores com todas estas e o maior só com a de Hepatite A, o valor chega a R$ 1.401,00. Eu absolutamente, não tenho esse recurso no momento, a não ser que não coma ou não pague os compromissos básico como água, luz, telefone, condomínio… Hoje, a Eletropaulo corta a luz com mais de 20 dias de atraso, a empresa de celular, mesma coisa, a ordem é NÃO PAGOU, CORTA!! E assim é com tudo.

Imagine o Senhor, estar com seu filho à mercê de uma dessas 4 doenças perigosíssimas e a qualquer momento saber que eles estão infectados, daí o prejuízo e dor são maiores.

Sei da sua humanidade, da pessoa que eu acredito que é e sei também que o Senhor não concorda com isso. Sou um defensor do Senhor e do seu governo, votei no Senhor sempre que se candidatou e lamento que seu mandato tenha que parar, por isso, voto na pessoa que o Senhor tenha preparado e confie. Esse parágrafo não é uma “puxação de saco” para obter nada, é apenas MEU RESPEITO SINCERO E GRATIDÃO PELO ÚNICO GOVERNANTE QUE eu respeitei até hoje e que mudou esse país com feitos significantes que já entraram para a história do Brasil.

Na verdade, meu intuito com essa mensagem, que nem sei se chegará ao seu conhecimento, é para que o governo designe uma verba para que TODAS, TODAS as vacinas necessárias à criança até os 18 anos (sim, 18 anos, criança sim, é só olhar a saúde da periferia) seja TOTALMENTE DE GRAÇA E BEM SERVIDA PELOS ÓRGÃOS PÚBLICOS. É um precioso investimento na saúde que evitará muitas lágrimas e dores de pais e filhos em todo Brasil e mais, vai evitar que o governo gaste depois, tardiamente com resultados que nunca serão satisfatórios.

Para piorar este cenário, conversei com a pessoa responsável na empresa onde trabalho sobre convênio e eles não cobrem e muito menos reembolsam parte dos valores para as vacinas. Consegui um telefone de um órgão no Hospital das Clínicas que dizem que poderíam vacinar gratuitamente se fossem apresentadas recomendações médicas, um receituário simples de um pediatra.

Liguei para o tal número (11-3069-6392) e falei com um Sr. Feijó que me atendeu com muita educação e prontidão. Expliquei meu problema, ele pareceu entender perfeitamente, me orientou sobre horários e a recomendação médica que deveria apresentar me assegurando que “eles estavam lá para ajudar e que resolveriam o problema”.

Pois bem, minha esposa foi até lá com os três meninos e quando lá chegou, foi entrevistada por uma médica que para justificar que não iria vacinar as crianças alegou alguns bordões conhecidos e descabidos:
– “temos muito poucas vacinas”;
– “para receber uma determinada vacina, o paciente necessita ou ser portador da doença a ser evitada ou ter uma grande chance de contrair a doença pelo seu atual quadro médico” – “as normas da agência que cuida disso, o ministério da saúde, mantém na internet as normas e vocês podem ver lá. No portal do governo, entrando na área de saúde/vacinação, recebi a seguinte página:
http://www.brasil.gov.br/servicos/paracidadao/index_servicosProc/categoriaservico.2004-07-30.7718498280/154/

Conclusão: Só rindo… Quer dizer que eu tenho que ter a doença ou já estar nas últimas para receber a vacina. Onde fica a eficácia da função primordial da vacinação que é a medicina preventiva??? Lamentável, uma ofensa que fez minha família sentir como se estivesse lá pedindo uma esmola, parecendo estar em outro país pedindo um favor, uma caridade, como se não fosse direito do cidadão e obrigação do governo, cuidar dos seus cidadãos.

O pedido que faço ao Senhor é para acabar com essa dor que faz com que apenas as pessoas que tem dinheiro tenham seus filhos vacinados e os pobres e os “não tão pobres” que também são gente e tem direito à saúde e bem-estar. Geralmente, estes “não-tão-pobres” são esquecidos porque ficam entre a pobreza e a classe média e tem que se virar do jeito que dá. Muitos pais simplesmente não dão as vacinas e contam que Deus vá protegê-los. Por isso, peço seu empenho, a humanidade que despertou meu respeito por sua pessoa.

Desde já, agradeço muito respeitosamente. Obrigado!
Uiles Matos – São Paulo – Brasil.

Anúncios

7 Leis Espirituais para o Sucesso – Deepak Chopra   Leave a comment

Equilíbrio e hamonia das leis.

Equilíbrio e hamonia são indispensáveis para o sucesso.

O universo me colocou em contato com essas leis, estudei um pouco cada uma e vi correspondências com a Bíblia e também com as religiões, cada uma na sua forma de ver e sentir. Deepak Chopra tem um jeito prático e simples de ver tudo isso, a essência fica para o leitor ser tocado e absorver todos os benefícios destas leis que poderíam ser chamadas também de mandamentos, dicas, conselhos, etc. é uma maneira de fazer com que as leis cósmicas trabalhem a nosso favor, harmonizando, apaziguando e de maneira direta, fazendo ver nosso interior, percebendo e tendo insights para melhorar como pessoa e com isso, trazer para perto de si a prosperidade. No fim das contas a prosperidade acontece em todas as áreas de nossa vida.

Nesse meu breve, modesto e simplista estudo, encontrei na internet um resumo voltado para yoga, muito bem feito de autoria de Andreaha San, a quem dou crédito pelo texto/adaptação das leis e agradeço pelo bem que me fez. Para fácil compreensão, fiz umas adaptações, retirando a parte técnica da yoga, assim, você pode utilizar uma lei por dia da semana, repetindo até que se torne parte de você e o hábito se instale. Você vai notar mudanças na vida e até, atitudes involuntárias no seu comportamento – tudo para melhor, é claro – reações que farão você se gostar ainda mais. No mais, pratique e busque a meditação, respire conscientemente, preste atenção na sua respiração e colha os frutos.

Vamos às leis:
1- DOMINGO: Lei da Pura Potencialidade: Somos um campo de infinitas possibilidades, que é a essência de nosso verdadeiro ser. Ao entrarmos em contato com esse manancial ilimitado, podemos criar e realizar tudo que precisamos para nossa felicidade.
Para acessar sua verdadeira natureza, cultive momentos de silêncio e quietude. Faça meditação, comungue com a natureza e pratique o não-julgamento: aceite a si mesmo e os outros como são.

2- SEGUNDA-FEIRA: Lei do Dar e Receber: Estabelece que estamos em constante intercâmbio com o Universo. Dar e receber são aspectos diferentes do fluxo de energia que trocamos com o mundo. O dinheiro que ganhamos, nossos relacionamentos, o que damos e recebemos das pessoas são exemplos práticos dessa lei.

Desenvolva um sentimento de gratidão pelos presentes que a vida lhe dá, pelo pôr-do-sol, pelos amigos, pelo que existe a sua volta. Proponha-se também a dar algo para as pessoas que encontrar: amor, um sorriso, uma palavra amável, um presente. Respire conscientemente. A inspiração e a expiração são exemplos concretos de que doamos e recebemos ininterruptamente.

3- TERÇA-FEIRA: Lei do Carma ou da Causa e Efeito: Ensina que devemos estar atentos às nossas escolhas porque nossas ações geram reações equivalentes. É a versão hindu do ditado popular: “cada um colhe o que planta”.
Preste atenção em suas escolhas. Ouça seu coração e verifique se elas causam conforto ou desconforto. Ao tomar decisões, pergunte-se: “Quais serão as consequências dessa escolha para mim? Como ela afetará os outros?”

4- QUARTA-FEIRA: Lei do Menor Esforço: Baseia-se no princípio da não-resistência. Revela que tudo na natureza flui naturalmente e sem esforço. É assim com o nascer do Sol e o desabrochar de uma flor.
Faça suas ações alcançarem o máximo benefício com o menor esforço. Aceite as coisas como são, em vez de impor sua maneira de resolvê-las. Não queira controlar as pessoas e os acontecimentos, não culpe a si mesmo ou os outros pelo que acontece com você. Todo problema é uma oportunidade única para transformar sua vida.

5- QUINTA-FEIRA: Lei da Intenção e do Desejo: Parte do pressuposto de que nossos desejos e intenções têm o poder de manifestar o que desejamos. Se quisermos que algo cresça e floresça, devemos colocar nele nossa atenção. Se não queremos que aconteça, devemos retirar dele nossa atenção.

Faça uma lista de seus principais desejos e reveja-a diariamente antes de dormir. Os entregue depois para o Universo – ele se encarregará de manifestá-los. Não deixe que dificuldades e obstáculos dissipem seus desejos. Assim, suas ações e desejos serão apoiados pela inteligência cósmica.

6- SEXTA-FEIRA: Lei do Desapego: Para obter algo na vida, é preciso se desapegar do resultado. Você mantém firmes a intenção e o desejo, mas deixa o resultado nas mãos do Universo. O apego gera ansiedade e é baseado no medo e na insegurança.

Suas ações tem que ser completamente livres e desapegadas de resultados. Não seja rígido. Acolha as incertezas. Lide com seus medos e inseguranças e cultive a confiança na vida. Inicie cada dia com o sentimento de que ele é um campo fértil para todas as possibilidades. Abra-se a elas.

7- SÁBADO: Lei do Dharma ou do Propósito na vida: Todas as pessoas têm um propósito na vida, talentos únicos e uma maneira própria de expressá-los.

Faça uma lista de suas habilidades e seus talentos. Isso o ajudará a enxergar melhor seu verdadeiro potencial. Observe as coisas que o deixam feliz e criam harmonia a sua volta. Elas são a expressão de seu dharma e dos seus talentos e isso tudo respeita a lei cósmica do universo. Use-os para servir aos outros. Pergunte-se: “Como posso ajudar as pessoas com quem entro em contato?”

Para mim foi muito bom e está sendo, creio que o aprendizado não acaba nunca. Um passo na direção de melhorar como ser humano é sempre válido. Desejo a você tudo de bom, perseverança e muito amor na sua vida. Você não esteve aqui por acaso, tenha certeza disso. Namastê!

Publicado 10 de março de 2009 por uiles em Uncategorized

Etiquetado com

Eu não podia voar.   Leave a comment

Eu não podia voar.

Eu não podia voar.

Uma das maiores decepções e frustrações da minha infância foi saber que eu não podia voar. Uma tristeza inconformada misturada com uma impotência revoltante que eu não queria aceitar. Em segredo, fiz mil e um testes para comprovar mesmo se era verdade que o ser humano não podia voar – eu não queria acreditar nisso. Porquê?? Se é tão bom, porque não podemos ter um prazer desse?

Daí, subi em muros, pulei e tentei dar impulsos. Corri bastante pra pegar impulso e conseguir voar… O máximo que consegui foi machucar o pé.

Comecei a estudar e com isso a história de que os ossos dos pássaros são pneumáticos e etc me tiraram a ilusão e me certificou que isso era um privilégio dos pássaros.

Logo após, vi que os aviões com tantas toneladas podiam voar tão rápido e tão alto. Voltei a questionar essa proibição da natureza, mas durou pouco, vi que não tinha jeito mesmo, motores, propulsão, combustão, etc, etc… Nunca gostei de física mesmo.

Passou mais um tempo, quando tinha uns 18 anos, aprendi a fazer relaxamento e comecei a ler sobre meditação e com isso novos mundos como viagens astrais, experiências fora do corpo estavam me dando uma outra chance. Lá estava eu de novo na minha busca pelo primeiro vôo.

Num tipo de relaxamento que aprendi, depois que o corpo está totalmente relaxado, você se imaginava voando por um caminho. Tentei, tentei, mas não consegui ter uma experiência de vôo satisfatória. Isso é um processo onde a prática constante traz resultados melhores a cada vez. Comecei a imaginar caminhos completos pela cidade como ir da minha casa até o trabalho 15 quilometros distante. Cada rua, visualizando todo o cenário perfeitamente, vendo tudo do alto, sentindo o friozinho da brisa da noite (que era quando eu voava), mantendo a concentração para não cair (às vezes quando me distraía, o vôo enfraquecia e parecia que ia cair), sentindo o cheiro… Foi o primeiro vôo e daí para frente fui fazendo novos caminhos.

Estranhamente, após essas experiências, comecei a sonhar que voava e era muuuuito mais gostoso, eu tinha o controle, me sentia muito bem e um detalhe a mencionar era que sempre voo à noite, até hoje. Hoje voo por capitais que conheço, visito pessoas ou simplesmente voo sem destino.

Nesses vôos, o sentimento é de liberdade, de privacidade e também, de poder por estar acima, intocado num silêncio que é meditativo. O ruim é quando às vezes, o vôo enfraquece por motivos que geralmente não sei e desço suavemente ao chão. Daí, tenho que ficar tentando, tentando, subo, desço e tento de novo até que consigo. Nos sonhos, parece que assim que entro, meu consciente acorda e começo a curtir como se fosse uma das minhas experiências de relaxamento acordado.

Talvez por isso, eu goste tanto da música I believe I can fly de R.Kelly. Veja a letra, você pode ouvir copiando o endereço gigante abaixo, colar no seu browser:
http://app.radio.musica.uol.com.br/radiouol/player/frameset.php?opcao=umamusica&nomeplaylist=005045-3_05<@>1998_Grammy_Nominees<@>I_Believe_I_Can_Fly<@>Vários_Artistas<@>0523<@>R._Kelly<@>UNIVERSAL<@>MCA

Acima de tudo, aprendi que podemos voar em vários sentidos. Não falo de drogas ou qualquer tipo de artifício que nos tire de nosso estado natural, falo da busca pelo auto-conhecimento, por olhar para cima e ver Deus, Ele te leva, você fica leve e vai ao seu encontro, basta abrir as asas e crer.

Desejo o mesmo para você. Fique com Deus.

Publicado 18 de novembro de 2008 por uiles em Uncategorized

Etiquetado com , , , , , , , ,

As vozes que não se calam II.   Leave a comment

Vozes que não se calam II.

Vozes que não se calam II.

De maneira simples de entender e acima de tudo, sentir que isso é um tipo de iluminação que deve chegar a cada um, vou tentar passar para você uma prática que vale mais do que todo o dinheiro desse mundo.

Como todos somos diferentes, cada um tem seu tempo, tem seu momento e acredita-se que a pessoa precisa estar preparada para receber esse presente. Se não for hoje, pelo menos a semente estará plantada pronta para germinar. Mas, quando você estiver preparado, você dará ouvidos a essa conversa toda com certeza. Infelizmente, isso ocorre quando os anos chegam, quando passamos por um grande trauma, sofrimento ou perda. O ser humano é maravilhoso, mas vem com uns defeitos de fabricação em sua programação, daí, sua beleza.

O fato de estar lendo estas palavras, chegado até esse humilde blog já é um indício de que se não for a hora, pode ser um dos passos. Por ouvir uma primeira vez, pode ser que você não fixe ou não dê importância a essa balela toda.

Pois bem, na minha humilde ignorância e querendo ajudar alguém, posso falar da minha experiência. Comecei lendo o escritor Osho (é esse mesmo o nome dele, é uma abreviatura do seu nome que é Bhagwan Shree Rajneesh), um líder espiritual que toda sua trajetória não foi exatamente uma unanimidade, mas que, mesmo tendo morrido em 1990 aos 59 anos, é uma das 10 personalidades mais influentes do mundo ainda hoje.

O livro “Aprendendo a silenciar a mente” dá uma iniciação, uma familiarização de maneira simples do que seja a meditação. Normalmente, quando ouvimos falar em meditação, se pensa em alguém careca, zen que só come alface, algo inatingível nos nossos dias. Não é nada disso, meditação é para mim algo que deveria ser ensinado para a criança nas escolas desde os primeiros dias. Eu tenho três filhos e o de três aninhos já sabe algumas técnicas que ele usa sem precisar chamar a técnica desse bicho papão meditação. Se ele cai, está naquele momento chorando, ofegante, eu o pego no colo ou simplesmente chego perto e digo “respira nenên” e faço a respiração para ele imitar. Uma respiração profunda, mais espaçada que em segundos, ele está pronto para outra. Esse garoto quando adolescente ou adulto vai utilizar isso até nos momentos mais críticos de sua vida. Sua saúde física e mental com certeza terão diferença daqueles que nada sabem ou utilizam.

O ser humano moderno não sabe respirar ou não utiliza a capacidade respiratória plena de seus pulmões. Mesmo os atletas têm deficiência nessa questão. Sabemos também que a respiração deficiente é uma das maiores causas “escondidas” das mais variadas doenças. Se formos levar em consideração o meio ambiente em que vivemos, temos a certeza de que esse quadro é assustador e só a meditação pode amenizar isso.

A meditação não faz bem tão somente à saúde física, mas, principalmente, à saúde mental, à concentração, ao sentir o agora.

Para começar, você pode fazer este exercício simples. Tente separar 15 minutos do seu dia, não importa onde, horário, o importante é começar. Às vezes, notamos que uma certa timidez consigo mesmo é um impedimento para começar, não seja tímido. Eu sei que não é fácil ficar sozinho com essa pessoa que é você, mas, dê uma chance, você vai gostar de ficar com você. Se não gostar, é sinal de que precisa melhorar um pouquinho, imagine o que as outras pessoas que ficam com você podem sentir.

Vamos lá, recolha-se a um local onde possa ficar só ou que ao menos, não seja incomodado. Sente-se, recoste-se confortavelmente, não é para dormir, isso não é um relaxamento, é um encontro com você.

Ao sentar-se, olhe o ambiente suavemente, tenha consciência do ambiente, móveis, janelas, claridade ou não, sem mover a cabeça – só com os olhos. Feche levemente os olhos, sabendo onde você está, sinta como se os olhos fossem ficando pesados, como quando você está com sono até que eles fecham suavemente, sem formar expressões com os músculos do rosto.

Relaxe o músculo da língua, solte a língua, os lábios, sinta sua respiração querendo também um cantinho nessa calmaria. Comece a deixar sua respiração mais profunda, sem fazer força, após algumas respirações, você pode dar uma bocejada bem gostosa e talvez, respirações mais profundas.

Agora, respire profundamente contando até quatro, segure contando até quatro e solte bem devagar o ar dos pulmões na mesma contagem até quatro. Faça isso por umas quatro vezes, depois deixe que a respiração leve, um pouco mais profunda faça seu trabalho.

Nesse momento, vamos à parte mais difícil que é silenciar os pensamentos ou iniciar tentar diminuir os pensamentos. Tenha paciência e carinho com você acima de tudo. Pode acontecer de entrarem pensamentos que você nem imagina porque pensou naquilo, sinta como se estivesse entrando num cômodo da sua casa que você não conhecia, olhe cada canto com calma – os pensamentos que entram devem ser olhados com carinho e neutralizados de maneira tranqüila, você não pode se irritar com eles ou por causa deles. Agora você está numa dimensão onde você se olha, se sente e os mais variados sentimentos vão aparecer, não conteste nada, não julgue nada, você está ali apenas para contemplar, buscar o silêncio e com isso, a paz.

Importante: não tente controlar, não tente usar a força mental para parar os pensamentos. Além de frustrante, pode dispersar, não se iluda, a mente é indomável. Você pode trabalhar com ela, nunca contra ela – não existe “contra” nesse caso. Tenha um respeito carinhoso em relação à mente e trabalhe junto

Imagine um painel onde os pensamentos vem e vão e você calmamente diz a sua mente que aquele é um momento de descanso, de revigorar a mente. Não é fácil, até mesmo nesse momento, sua mente está fervilhando de pensamentos achando que vai ou não tentar ou até mesmo, conseguir. Como já disse, o importante é começar, mas, começar com a mente de uma criança, desprendido, inocente, atencioso, sabendo que está fazendo um bem que vale mais que mil remédios para sua saúde física e mental.

A continuidade desse hábito, a leitura, pesquisa e aprofundamento nessa arte são passos que você certamente tomará, se estiver pronto. Esse meu relato não tem a pretensão de ser uma regra científica já que não sou fisioterapeuta, nem formado em nenhuma ciência da área. Fiz um curso de meditação de dois dias com um especialista em meditação científica, Toni Luiz. Já li muito sobre esse assunto, sou praticante há 15 anos e posso dizer que isso salvou minha vida, não consigo enxergar como seria minha vida sem esse recurso. Considere apenas que seja uma dica de um amigo que experimentou algo bom, que foi agraciado com um presente e gostaria que todos sentissem esse mesmo bem estar.

Ah, mais um conselho: não desista, não deu para fazer hoje, não tem problema, faça amanhã. Está sem tempo, faça antes de dormir, mas não desista em dar esse carinho a você e por conseqüência, às pessoas que o rodeiam. Boa sorte e tudo de bom para você.

Publicado 18 de novembro de 2008 por uiles em Uncategorized

Etiquetado com , , , , ,

As vozes que não se calam.   Leave a comment

Vozes que não se calam.

Vozes que não se calam.

Você já parou para ouvir a bagunça que é nossa mente? Quantas vozes, quantos pensamentos, quantos sentimentos em número, importância e qualidades diferentes. É de se admirar o que isso faz quando nos deixamos levar por esses sentidos.

Já ouvimos falar que nossa mente é nosso maior inimigo em todos os sentidos, que ela é incontrolável e fazer com que ela trabalhe a seu favor, é o grande barato dessa nossa jornada chamada vida.

Só a menção/intenção de controlá-la já é certeza de derrota nessa intenção. É bom saber que para acessá-la, para que ela ouça e trabalhe a nosso favor é necessário estar num nível que ela te ouça ou pelo menos, perceba que nada saiu da normalidade dela. Falando assim, parece que estamos diante de uma entidade poderosa, inacessível e melindrosa. É isso mesmo! A natureza dela, semelhante à do corpo humano – controlado plenamente pela mente – faz com que ela tenha esse teor de Deus, uma lasquinha dos domínios de Deus, ninguém conseguiu explicar isso muito bem. Cada religião/cultura, tenta explicar, mas, o resultado disso é mais questionamento, um debate interminável. O importante para os mortais é conhecer/sentir seu aroma e ser amigo, tentar se unir ao máximo com sua essência e poder.

É preciso aprender primeiro a silenciar a mente e esse é um processo interminável em que se evolui, é possível familiarizar-se com o relacionamento onde há o consciente (o desperto, que está acordado) e o inconsciente (o adormecido/acordado, a programação indelével (ou quase)) onde se encontram os segredos do universo e da nossa paz. Não é aquela paz, a ausência de guerras/conflitos, é aquela semelhante a que Deus dá, daí, a mente ser divina.

Como fazer isso?
continua no próximo capítulo. 🙂

Publicado 18 de novembro de 2008 por uiles em Uncategorized

Etiquetado com , , ,

Três pipis sadios – Parte 3 Mateus   2 comments

MateusManhã de 03/03/2008, lá vamos nós com Mateus para o Hospital da Criança. Já experientes com a cirurgia de postectomia de praticamente um mês atrás, tudo sob controle, cuidados tomados, tudo em ordem. No caso do Mateus, também a cirurgia de hérnia do cordão umbelical, uma correção necessária, segundo o pediatra.

Mateus, anjinho do Papai, dócil como sempre, tranquilo, mas, quando voltou da cirurgia, a surpresa. Ele estava já acordado, sem o efeito da anestesia e confuso. Segundo o enfermeiro que o trouxe, a sua visão, efeito da anestesia, estava embaralhada e confusa. Que deveríamos afagá-lo para que se acalmasse e que a duração desse estado seria de uns 20 minutos.

No colo da Mamãe, o engraçado era que ele não coordenava os movimentos de cabeça e de sucção – não conseguia mamar e isso o deixava ainda mais bravinho porque ele estava em jejum para poder fazer a cirurgia. Em pouco tempo, uns 15 minutos, ele foi retomando os movimentos, começou a mamar, se acalmou e dormiu gostosinho.

Esperamos mais um pouco e fomos para casa. Na primeira troca de fralda, vimos o pipi e estava lindo. A cirurgia da hérnia ficaria com um tampão bem grande e só deveria ser retirado em 7 dias. Passados 7 dias, o umbigo nem parecia que havia passado por uma cirurgia, estava perfeito.

O pipi, como havia previsto nosso médico, estava perfeito também. Nosso pediatra disse para espalharmos esse resultado porque existe uma resistência muito grande por parte dos Pais em geral – não querem fazer a postectomia quando a criança tem menos de 2 anos. Comparei a recuperação do Erick (2 anos e 8 meses), que foi de 2 meses e meio com a do Mateus (8 meses), que levou apenas 15 dias e foi indolor para ele, não necessitou de remédios como o Erick, não causou mal estar, foi um sucesso.

Recomendo que se faça a cirurgia o quanto antes, é bom para a criança, para a recuperação e para os Pais que sofrem muito quando suas crianças sofrem.

Bom, esse é o fim da saga dos 3 pipis sadios que não vão contribuir para aumentar os números negativos com relação à saúde pública não contaminando suas parceiras quando tiverem uma vida sexual ativa. E isso vai demorar muuuuito se depender de mim e da Mãe. 🙂 Até a próxima!

Publicado 29 de maio de 2008 por uiles em Uncategorized

Etiquetado com , , , , , , ,

Três pipis sadios – Parte 2 Erick   Leave a comment

Erick antes da cirurgiaManhã de 08/02/2008, seis horas da manhã, Erick em jejum por motivo da cirurgia que se aproximava, a tal postectomia. Mãe e Pai a postos, plano traçado, Vó acionada para ficar com Mateus de 8 meses e Vô acionado para levar o David, 12 anos, à escola.

Chegamos ao Hospital 30 minutos antes do horário marcado, a Mãe é muito rigorosa nesses detalhes. O Hospital da criança é o único em São Paulo a ter um procedimento que eu considero iluminado, mas falo disso mais adiante. Fomos chamados, chegamos a um grande salão onde há, em forma de “U”, várias baias com cama, televisão, vidros nas divisórias com decoração de motivos marítimos. Um salão muito agradável, os profissionais transmitem muita segurança, além de serem muito gentis e preocupados com os mínimos detalhes. Sabem que os Pais estão bem tensos, afinal de contas, uma anestesia que “apaga” a criança, sempre é risco, por menor que seja.

Trocamos a roupa do Erick, colocamos um pijaminha muito simpático do hospital com motivos bem alegres. Ele, já desconfiado, querendo o “tetê” (mamadeira) e nós utilizando todas nossas artimanhas de Pais para distraí-lo.

Chegou a hora, os enfermeiros vem e me dão calça, camisa, cobertura para o sapato, touca para o cabelo e para a boca. Pois é, essa é a iluminação. Esse hospital permite que o Pai vá com a criança até o momento de ser sedado. A experiência de ouvir os gritos do David quando ele fez a mesma cirurgia há 11 anos atrás foi muito negativa para nós e para ele também.

Toda criança que tenha 2 anos e 8 meses, como o Erick, já fez alguma vez, uma inalação e esse é o recurso na hora de entregar o menino na sala de cirurgia. Eu disse: “Vamos fazer um pouquinho de inalação, é legal” Nessa inalação, ele recebe a primeira sedação, perde os sentidos em no máximo, 5 segundos, o Pai sai da sala e pronto! Suspiro de alívio e volto a aguardar na sala.

Se passam 20 minutos ele volta com um sorinho conectado, dormindo relaxado como poucas vezes eu vi. Aguardamos 20 minutos e o enfermeiro veio até nós dizendo que já podíamos acordá-lo. Ele ficou bravo e não queria acordar, o soninho devia estar bom, mas ele estava confuso também. Imagino que alguma dorzinha ou mal estar deviam estar acontecendo, mas ele não sabia de onde vinha. Esperamos um pouco mais.

Enfim, ele acordou, tomou o tetê tão esperado, o médico veio, fez todas as recomendações e prescrições caso ocorressem problemas. Nesse momento também, o médico, que aliás recomendamos, o Dr Onofre, é um defensor de que essa cirurgia, a exemplo de muitas culturas, é feita bem cêdo. Ele nos disse para observar o tempo de recuperação do Erick e dizer para nossos amigos Pais quão bom, é fazer essa cirurgia o mais precocemente possível.

Fomos para casa e recomendamos com aquela seriedade solene de Pais: “Não pode pular, não pode correr, cuidado!! O médico operou o seu pipi, toma cuidado senão vai ficar “dodói”.”

Da recuperação do Erick, falo na próxima parte, quando falar da vez do Mateus de 8 meses. Até lá.

Publicado 16 de maio de 2008 por uiles em Uncategorized